26.10.18

Saneamento e Eleições: Expectativa de proposta dos presidenciáveis.

Vamos aproveitar o momento para falar de saneamento e eleições.

Às vésperas de elegermos o próximo presidente do Brasil, que tal falarmos sobre saneamento e eleições?

Recentemente, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que menos da metade das cidades brasileiras possuíam um Plano Municipal de Saneamento Básico em 2017.

O plano de saneamento é considerado a principal ferramenta de planejamento e execução de políticas públicas nas áreas de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, manejo de resíduos sólidos e gestão de rios urbanos.

Esta ausência de planejamento em mais da metade dos municípios brasileiros se reflete em números. Um estudo divulgado pelo Instituto Trata Brasil em abril deste ano mostra que:

– 35 milhões de brasileiros (16,7% da população) não era abastecida com água potável em 2016;

– Mais de 100 milhões de pessoas (48,1% da população) não tinha acesso ao serviço de coleta de esgoto;

– Apenas 44,9% do esgoto era tratado no Brasil em 2016.

 

PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO

O Plano Nacional de Saneamento Básico determina os eixos da política federal para o setor.

Em 2015, durante a Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, o Brasil assinou o compromisso de universalizar o acesso à água potável até 2030.

Mas a queda de investimentos em infraestrutura no país torna este compromisso um sonho ainda mais distante. Em 2017, os investimentos caíram 12,4%, o que inclui recursos aplicados nos serviços de água, esgoto e gestão de resíduos sólidos.

 

SANEAMENTO E ELEIÇÕES

O Nexo Jornal checou as propostas dos presidenciáveis para o saneamento básico no Brasil. Você pode conferir a matéria completa aqui: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/09/25/O-saneamento-b%C3%A1sico-nos-planos-de-governo-dos-presidenci%C3%A1veis

Resumimos abaixo o que o Nexo encontrou nas propostas dos dois candidatos que concorrem agora no segundo turno:

 

JAIR BOLSONARO

Não há menção direta à ampliação do saneamento básico no programa do candidato do PSL. No tópico que trata da infraestrutura, o plano aborda principalmente o setor energético e transportes, defendendo desburocratização e privatização.

 

FERNANDO HADDAD

Em seu plano, o candidato do PT cita o saneamento na introdução, na qual afirma que “o Brasil precisa entender a água como direito humano e o saneamento como política pública essencial para a oferta desse direito”, prometendo investir na gestão sustentável dos recursos hídricos.

No quinto tópico do plano de governo, o candidato faz a defesa de políticas como:

– a retomada ou início de obras de adutoras, canais e barragens, para ampliar a infraestrutura de oferta hídrica;

– reuso e reciclagem da água;

– interrupção de processos de privatizações, por “uma governança [da água] efetivamente pública”;

– revitalização e despoluição de bacias e rios;

– retomada do apoio a estados e municípios para dar seguimento à Política de Saneamento Ambiental Integrado, com o objetivo de universalizar a cobertura de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto e tratamento de resíduos sólidos, e ampliação de iniciativas de saneamento rural.

CARCERERI

Fundada em 1986, a Humberto A. Carcereri & CIA LTDA é hoje uma das principais empresas de Saneamento do país, com mais de 600 funcionários, e 27.000 m² de área de infraestrutura. 

Saiba mais aqui: http://www.carcereri.com.br/quem-somos.html

 

Fonte:

https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/09/25/O-saneamento-b%C3%A1sico-nos-planos-de-governo-dos-presidenci%C3%A1veis

 


Tags: